Dedo em gatilho

Entenda a Doença/Dedo em gatilho


13 de Janeiro, 2017.

Dedo em gatilho

Ao fechar a mão e tentar abri-la, o paciente percebe que um de seus dedos permanece flexionado, geralmente acompanhado de dor. Pode ocorrer reversão do quadro mantendo a extensão ativa do dedo ou utilizando a outra mão. Este 'engatilhamento' ocorre por bloqueio da extensão ativa do dedo em decorrência de processo inflamatório na bainha dos tendões flexores. Vários fatores que causam aumento do volume do túnel tendineo podem estar associados (cisto intratendineo, nodulação sinovial, etc). Ocorre mais frequentemente em mulheres, acima dos 40 anos, e a mão dominante é mais acometida. O polegar é o dedo mais comumente envolvido, seguido pelo anular, indicador, dedo médio e mínimo. Pacientes portadores de diabetes têm maior chance de desenvolver a doença. O diagnóstico é realizado com base na história clínica e exame físico, realizado pelo especialista em cirurgia da mão. O tratamento pode ser conservador, que incluem medicações ou infiltrações no túnel tendinoso acometido, ou cirúrgico, cuja indicação depende do tempo de evolução e gravidade do quadro.